Nossa História

NOSSA HISTÓRIA
FAMEC – “Quem ama, ampara”
A Fundação de Assistência e Desenvolvimento Humano para Crianças, Adolescentes e seus Familiares de Vitória da Conquista - BA (FAMEC) completa 67 anos de atividades em 2016, dando amparo a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, portanto, desde 1949, quando surgiu a entidade que deu origem ao que hoje tornou-se a FAMEC. Uma instituição sexagenária que fez história através de importantes nomes que se dedicaram ao longo desta trajetória de ações, projetos, dificuldades, relações e conquistas – sempre com o pensamento de que é possível, sim, transformar o mundo em um lugar mais “justo para se viver”.

Ao longo dos anos foram desenvolvidos diversos trabalhos e projetos de inclusão junto à população mais carente de Vitória da Conquista e de cidades da região. Transformando sonhos em realidade, a FAMEC tornou-se uma instituição respeitada e valorizada pelo trabalho que desenvolve e que aprimorou no pleno exercício do seu projeto, com embrião na primeira maternidade da cidade, aberta na década de 40. No dia 14 de abril de 1949, surgiu o Centro de Assistência Social de Vitória da Conquista. Nasceu, então, o que mais tarde seria a Escola de Aproveitamento de Menores (EAM), construída em 1952. O Centro tornou-se mantenedor da instituição até 1984, quando deu lugar à atual Fundação de Amparo ao Menor Carente.

Após seis décadas de sua criação, a FAMEC tem orgulho de saber que é fruto do Centro de Assistência Social, que, preocupado com os problemas sociais que começavam a emergir da população conquistense, antecipou-se e deixou importantes e valiosas diretrizes para que o projeto pudesse continuar e ser aperfeiçoado através do trabalho voltado para crianças e adolescentes em situação de risco. Em 2015, a presidente da instituição desde o ano 2000, Dometilde Botelho, conhecida como Dozinha, lançou uma obra literária contando toda história da FAMEC. O livro, intitulado “Uma história de Esperança e Cuidado”, é um relato da luta cotidiana da ONG desde a sua fundação na década de 40.

  • 1949: Abril

    Um grupo de cidadãos, liderados pelo então deputado Dr. Luiz Régis Pacheco, funda o Centro de Assistência Social de Vitória da Conquista, com a finalidade de “prestar assistência social especialmente no âmbito médico hospitalar aos que sofrem, servindo à coletividade”.
  • 1952

    Dr. Luiz Régis Pacheco, na época governador da Bahia, viabiliza a construção de uma Escola Profissional para Menores.
  • 1955

    É concluída a construção do prédio da Escola Profissional de Menores.
  • 1960 a 1965

    Período em que o Estado mantém no local uma escola de Ensino Fundamental.
  • 1967: Abril

    O Centro de Assistência Social de Vitória da Conquista cria a Escola de Aproveitamento de Menores (EAM).
  • 1970

    A EAM já tinha como finalidade o aproveitamento moral, profissional e intelectual dos menores de 5 a 18 anos em perigo ou erro social.
  • 1984: Abril

    O Centro de Assistência Social é extinto e é criada a FAMEC.
  • 1984: Outubro

    A FAMEC é declarada de Utilidade Pública Municipal e é criado o Centro de Treinamento e Recuperação Jorge Teixeira (CTRJ), um dos órgãos da Fundação.
  • 1985: Março

    Locação do prédio pelo Instituto Pedro Ribeiro de Administração Judiciária para o funcionamento do fórum e da OAB- Ordem dos Advogados do Brasil - seção Conquista.
  • 1988

    Termina o contrato de locação com o Instituto Pedro Ribeiro de Administração Judiciária, após um incêndio nos cartórios, considerado criminoso.
  • 1990

    Restauração da parte do prédio destruída pelo incêndio.
  • 1991

    A FAMEC reativa suas atividades. Início do convênio de Cessão de Salas firmado entre a Secretaria de Educação da Bahia e a Fundação para a criação do CTRP em substituição ao CTRJ.
  • 1992: Janeiro

    A FAMEC aluga parte das instalações à Cooperativa Educacional de Conquista (COEDUC), empresa privada que oferece o ensino básico da Educação Infantil ao Ensino Médio.
  • 1993: Maio

    A razão social é modificada para Fundação Educacional de Vitória da Conquista, conservando a mesma sigla: FAMEC. A Fundação da Criança e Adolescente (FUNDAC) ocupa uma das salas das dependências da Fundação e passa a desenvolver suas atividades em Vitória da Conquista.
  • 1994: Julho

    A FAMEC é reconhecida como de Utilidade Pública Estadual.
  • 1995 a 1999

    Segundo Convênio de Cooperação Mútua FUNDAC e FAMEC para o atendimento a crianças e adolescentes com repasse mensal de verba.
  • 2000

    Extinção do internato e início da Escola de Tempo Integral.
  • 2001

    A FAMEC passa a fazer parte da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente, criada em 1999. O Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) financia a reforma das instalações.
  • 2002

    A FAMEC inicia a sua participação no Programa “Sua Nota é um Show”, da Secretaria da Fazenda da Bahia (SEFAZ).
  • 2004

    A FAMEC é reconhecida como entidade de Utilidade Pública Federal.
  • 2005

    A FAMEC é registrada no Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).
  • 2008

    A FAMEC passa a ser isenta de pagamento das contribuições sociais. Terceiro Convênio de Cooperação Mútua FUNDAC/FAMEC para atendimento a adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa de semiliberdade com a criação do espaço NAVARANDA.
  • 2011

    Assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre a FAMEC e a Central de Apoio e Acompanhamento às Penas e Medidas Alternativas (CEAPA), com a finalidade de viabilizar o programa de exercício de penas e medidas alternativas da Bahia.
  • 2012

    A FAMEC passa a participar do Programa Mesa Brasil SESC, de segurança alimentar e nutricional voltado para a inclusão social, contra a fome e o desperdício.
  • 2014

    A FAMEC implanta um programa de apoio às famílias e às crianças matriculadas nas escolas regulares em seus contraturnos e abraça os projetos sociais Banco Cadeira de Rodas e Conquista DOWN, com metas de acolhimento e expansão para outras entidades.
  • 2015/2016

    A FAMEC busca definir outras fontes de receita que garantam a possibilidade de implantação de novos e mais arrojados projetos, conservando o seu foco na criança e no adolescente.